quarta-feira, 15 de julho de 2009

LULA: MUDANDO DA ÁGUA PARA A CACHAÇA

A cor ainda é o vermelho, mas o discurso... quanta diferença!


QUEM TE VIU, QUEM TE VÊ, COMPANHÊRO...

Ontem o excelentíssimo senhor presidente Mr. Louis Ignacious Loolah dah Seelvah resolveu chutar o balde durante discurso e rasgar elogios a dois de seus antigos desafetos políticos: o Rei do Gado Renan Calheiros [PMDB-AL] e sua cria, o ressuscitado Fernando Collor [PTB-AL] - o Fernandinho do Pó ou, simplesmente, Suposicollor:

- Quero aqui fazer justiça ao comportamento do senador Collor e do senador Renan [Calheiros] que têm dado uma sustentação muito grande ao trabalho do governo no Senado - coachou o Sapo Barbudo.

Ok, faltou dizer que o discurso de Lulinha Peace and Love foi exatamente em Alagoas, curral político dos distintos senadores em questão.

Gente que está para o castigado estado assim como José Ato Secreto Sarney está para o Maranhão e Antônio Carlos Magalhães [o Toinho Malvadeza] esteve para a Bahia [antes de ser conduzido por um certo anjo caído - filiado ao DEMo - ao eterno descanso, alguns andares abaixo].

Ou seja, é praxe a visita limpar a sujeira no tapete antes de adentrar a casa dos anfitriões, ser gentil com eles, fingir não reparar que o lugar está uma bagunça, etc.

Mas o que impressiona em Lula é como ele faz a mesma política de sindicalista há quase oito anos, só naquela de nóis conversânu tudo se ajeita, e rodando os pratinhos como se fosse equilibrista de circo chinês.

Lula almoça com Deus e janta com o Diabo.

No almoço com Deus, os dois dividem um pê éfe e uma branquinha no boteco.

Lula reclama da vida, diz que o bolso tá vazio, pede uma grana emprestada ao Divino [te devolvo na segunda, sem falta] e, no final, o Ômi ainda paga a conta.

Depois é cada um pro seu lado e Lula dizendo, de longe: a gente vai se falando aí, companhêro Deus, bora marcar, te ligo qualquer dia desses.

Já com o Diabo o esquema é outro. Restaurante de bacana, à luz de velas, lagosta, água perrier, troca de olhares, afagos de ego mútuo, cumplicidade, promessas, garantias...

Após a sobremesa, como bons companheiros que são, saem juntinhos [na minha casa ou na sua?], de mãos dadas.

E quem paga a conta...

3 comentários:

palácios disse...

é amigo...
se o brasil daqui é assim, imagina o da jamaica...

Marcus Losanoff disse...

o Brasil da Jamaica é o BETO JAMAICA, do É o Tchan! =)

Agora imagino quem seria a CARLA PERES HILTON da Jamaica.. hehe

Luciano Carriço. disse...

Maquina do tempo.
Queria voltar a 1996 e te mostrar essa sua publicação. Lembra quando vc defendia que o PT mudaria o Brasil?
Hahahahahahahaha, eu te avisei!